O professor Florindo Amaral chegou à nossa escola no dia 8 de outubro, depois de uma longa viagem, na qual contou com 15 horas de voo. Ainda não tinha ainda ultrapassado a descompensação horária, nem o choque cultural, e já choviam pedidos para ir assistir a aulas, para falar sobre Timor, para atender a reuniões…

Todas estas solicitações tinham a ver com o propósito da sua vinda, subordinada a um projeto acordado entre os governos de Portugal e de Timor-Leste, que consistia em enquadrar 28 professores timorenses nas escolas portuguesas, de modo a conhecerem melhor o sistema de ensino e a aperfeiçoarem a língua portuguesa.

Uma vez ultrapassado o jet lag e outros embates, o intercâmbio foi enriquecedor, conforme se comprova por esta entrevista, preparada e realizada numa aula do 11º PI, sob o olhar atento da professora Ana Catarina Labisa.

As filmagens estiveram a cargo do Ruben Lopes, da turma referida, e na montagem colaboraram os alunos do 10º PI, Alexandre Coelho e Daniel Cardoso.

Através da entrevista, ficámos a conhecer melhor o professor Florindo, bem como a vida e a escola em Timor e algumas semelhanças e diferenças entre os dois países.

Uma particularidade é que vai ser difícil passar sem o professor Florindo, porque não há aula em que os alunos não perguntem por ele, e entre os colegas e funcionários a sua simpatia ficou inscrita, de tal forma que todos sem exceção sentem a sua falta, o que se foi acentuando à medida que se aproximou a hora da sua partida, por volta do dia 16 de dezembro.

About The Author

LOOKaes

Leave a Reply

Your email address will not be published.