Estamos no século XXI e toda a gente sabe o quão o nosso planeta está poluído, e é aí que entra o CleanAtlantic.

O CleanAtlantic é um projeto que tem como objetivo abordar os aspetos da prevenção, desenvolvendo boas práticas orientadas para a redução de produtos procedentes dos setores da pesca e portuário, promovendo a remoção de lixo marinho, implementando iniciativas de pesca de lixo (‘fishing for litter’). Com isto, pretende reduzir-se a presença de «artes de pesca perdidas ou descartadas» no fundo do mar, mas também desenvolver boas práticas para a regularização das praias pelas autoridades locais.

Este projeto começou em Portugal, em 2016, em Peniche, mas ultrapassa já as fronteiras portuguesas, tendo aderentes noutros países da Europa (Espanha, França, Irlanda e Reino Unido). Em Portugal, várias vilas costeiras têm aderido ao projeto – Gafanha da Nazaré (2017), Sesimbra (2018), Olhão e Setúbal (2019).

Associada a este projeto encontra-se a Docapesca que promove a iniciativa “A pesca por um mar sem lixo”. Iniciativa que foi criada com o intuito de proteger a biodiversidade e os ecossistemas no espaço Atlântico através do aumento da capacidade de monitorizar, prevenir e eliminar o lixo marinho. Além disso, também se pretende uma melhoria da gestão de resíduos tanto a bordo das embarcações como nos portos de pesca, sensibilizando e apoiando os pescadores na adoção de boas práticas ambientais e, deste modo, melhorar as condições ambientais da costa portuguesa.

Quando os pescadores estão na sua faina, verificam que frequentemente vêm resíduos de lixo nas redes de pesca. E, é aqui que entra o projeto CleanAtlantic e a iniciativa da Docapesca sugerindo-se que, em vez do lixo, que fica preso nas redes de pesca e dentro do barco, volte novamente para o mar, seja colocado em contentores de lixo (plástico e indiferenciado), e, quando as embarcações estiverem de volta à terra, o lixo seja reciclado. Estes contentores variam de tamanho consoante a dimensão da embarcação.

Neste momento, a Docapesca tem associada ao seu projeto 17 portos de pesca, 52 entidades parceiras, 28 produtores/associações, 3157 pescadores inscritos e 784 embarcações aderentes.

Será muito importante que este a projeto ambiental se juntem mais parceiros.

Cada um de nós poderá tornar-se parceiro por uma causa que é de todos.

A turma 8ºC, Escola Básica do Castelo

Maio 2021, enviado pela Profª Marília Sequeira

About The Author

Leave a Reply

Your email address will not be published.