Namoro…

Não namoro,

Mas choro,

Choro por dentro,

Choro por fora…

Diante de mim,

Ela cora,

Cora tanto mas me ignora.

Afinal, para que serve isto?

Para que serve um namoro?

Eu não a ignoro,

Não a desprezo,

Não a prendo,

Mas aprendo com o passar do tempo.

Não entendo,

O meu cérebro vai-me dizendo:

Amar/Namorar…

É apenas uma enorme prisão,

Acaba por ser violência,

O simples facto de não lhe dar a mão,

Faz parecer….

Que se encontra com demência,…

…Não tem modos para a namorada,

Não possuí um pouco de paciência.

Tudo aos gritos,

Deve ter deficiência…

Nada faz com a mínima eficiência…

Coração triste, coração quente.

A dor que deveras sente

Encontra-se apenas na sua mente.

Coração triste, coração ausente,

Nunca na realidade presente.

Coração triste, coração carente,

Engana o subconsciente,

Nunca diz o que sente, verdadeiramente,

Faz desconfiar, faz chorar!…

João Grilo, 8º A

Os desenhos foram realizados por alunos do 10º I, sob orientação da professora Lara Correia. 

About The Author

LOOKaes

Leave a Reply

Your email address will not be published.